Ergonomia e o e-Social

Antes de nos aprofundarmos no assunto, é preciso esclarecer o conceito básico de ergonomia. O estudo científico que procura melhorar as condições no ambiente trabalho e, assim, aumentar a produtividade é chamado de ergonomia. Logo, a gestão em ergonomia nada mais é do que planejar e implementar medidas dentro da organização que visam melhorar o conforto dos colaboradores e manter a integridade da empresa.

Para entender como o e-Social identificará problemas ergonômicos na empresa:

Faça uma gestão em ergonomia corretamente e analise o quadro dos colaboradores. Após fazer um raio X na empresa e entender tudo o que acontece dentro dela, os planos para melhorar as condições de trabalho poderão ser elaborados com maior precisão.

A maneira mais eficaz de encontrar os setores que precisam ter o ambiente de trabalho otimizado é fazendo um levantamento dos afastamentos. Se algum setor tem um alto índice de absenteísmo decorrente de doenças ocupacionais ou acidentes no trabalho, isso significa que esse setor, em específico, precisa ser melhorado.

Outra prática interessante (e que pode fornecer muitas informações relevantes) é fazer um estudo detalhado sobre as entrevistas demissionais. Procure saber os motivos que fizeram os antigos colaboradores da empresa se demitirem. Assim como também é interessante que se faça um levantamento dos setores com maiores índices de rotatividade.

Ao levantar todos esses dados, a empresa será capaz de encontrar o foco de sua dor, ou seja, o que está prejudicando a sua produtividade.

Você entende agora como o e-Social através das informações de afastamento por doença e ou demissões por setor da empresa, vão denunciar que alguma coisa está errada e precisa ser alterada.

 

RESOLVENDO O PROBLEMA:

 

Após identificar os setores mais críticos, é hora de encontrar o problema. A análise ergonômica busca verificar de perto como estão as condições de trabalho. Para isso, a análise precisa ser dividida em duas etapas.

Para que a primeira etapa possa ser colocada em prática, um profissional especialista em ergonomia, ou que tenha um amplo conhecimento sobre as técnicas ergonômicas, precisa entrar em ação. Esse profissional tem a função de observar o ambiente de trabalho de perto e avaliar como os colaboradores estão trabalhando.

Por exemplo, o ergonomista deve observar se os colaboradores estão fazendo muito esforço para exercer sua função, se o ambiente oferece as condições adequadas ou se os colaboradores não estão seguindo alguma norma de preservação da sua saúde e integridade.

Já na segunda etapa a organização deve entrevistar os colaboradores — sua participação é essencial. O entrevistador deve perguntar se eles sentem algum desconforto decorrente

Por: Policlínica São Lucas

 

e-socialErgonomia

e-socialergonomiafamousmoney

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Atendimento via WhatsApp