junho vermelho

JUNHO VERMELHO – MÊS DA DOAÇÃO DE SANGUE – Sangue salva vidas!

Por mais que digam que há substitutos para ele, isto não é verdade. O que existem são expansores plasmáticos que aumentam o volume circulante, combatem no tratamento do estado de choque, onde a pressão vai a zero, mas não carregam oxigênio. Nada substitui a hemoglobina, que só existe no sangue. A hemoglobina é responsável levar o oxigênio que aos tecidos, cérebro, coração, etc. Por isso ele salva vidas. O próprio presidente Jair Bolsonaro, não estaria vivo se não existisse sangue no Hospital em que foi socorrido, em Juiz de Fora.

Não se contrai AIDS ou outras doenças doando sangue.

Uma vez doado, o sangue passa por uma série de testes para evitar transmissão de contaminantes. Hoje o que é ministrado em Hospitais e Pronto Socorros, vem de Instituições Estatais, como o Hemocentro de São Paulo, diferentemente do que ocorria antigamente, quando existiam os bancos de sangue particulares que compravam sangue do doador (vendedor). O sangue não era analisado e havia transmissão de doenças, como Sífilis, Doença de Chagas, Hepatites e outras. Ainda não existia ou não se conhecia a AIDS. Não havia qualquer controle. Não havia também interesse de controlar, tratava-se de um negócio e o comerciante não podia perder!

O mais triste da história é que os doadores (vendedores) eram, na sua grande maioria, indivíduos desempregados que precisavam levar algum dinheiro para casa, para sustento da família.

Estes bancos eram espalhados pela cidade e existiam em lugares de maior concentração humana. Havia um (ou mais de um) na Praça da Sé.

Era uma atividade muito triste, para não usar uma palavra mais forte.

Felizmente acabou.

Doe sangue, salve vidas.

News

Doação de sangueHemocentrosJunho VermelhoSangue

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Atendimento via WhatsApp